Conclusão

Foi muito bom pesquisar sobre a usina nuclear, e a minha conclusão é:  a usina serve para gerar energia ao mundo.

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Alemanha vai fechar todas as usinas nucleares até 2022

Fim das usinas nucleares.

Rottgen afirmou que os sete reatores mais antigos do país, que já estavam parados por uma moratória determinada pelo governo, além da usina nuclear Kruemmel, não serão reativados.

Outros seis reatores devem ser desligados até 2021, e os três mais novos devem ser desativados em 2022.

“É definitivo. O fim das últimas três usinas nucleares será em 2022. Não haverá cláusula para revisão”, afirmou o ministro.

Antes da reunião que decidiu pelo fechamento das usinas nucleares, Merkel advertiu que “muitas questões ainda têm que ser consideradas”.

“Se você quer deixar algo, também tem que provar como a mudança vai funcionar e como podemos garantir o fornecimento duradouro de energia sustentável”, afirmou a premiê.

Moratória nuclear

Antes da moratória nas usinas nucleares decretada em março, após o acidente em Fukushima, a Alemanha dependia da energia nuclear para 23% de seu suprimento.

A onda de protestos contra a energia nuclear na Alemanha fortaleceu o Partido Verde, que no fim de março venceu as eleições locais em Baden-Wuerttemberg, antes controlada pelo Partido Democrata Cristão, de Merkel.

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário
Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Como é o funcionamento de uma usina nuclear?

As Usinas Nucleares mais conhecidas como Bombas-Relógio foram o resultado de uma precipitação da ciência. Lançadas como a solução definitiva da fonte de energia, demonstraram depois que trazem mais malefícios do que vantagens.

Depois do acidente em Chernobyl, percebeu-se o perigo que são e estão sendo desativadas rapidamente no mundo todo. A humanidade é meio lerda para certos assuntos. As bombas atômicas atiradas nas cidades de Hiroshima e Nagazaki em 1945, onde foram covardemente assassinados quase 200.000 civis e deixaram outros tantos aleijados e com câncer, não foi suficiente para os cientistas perceberam que a energia atômica não era uma coisa segura. Muitos países saíram construindo usinas nucleares.

Mas, felizmente, alguns governos perceberam o êrro e estão tratando de desativar rapidamente suas bombas relógios.

Mesmo assim, alguns países dependem quase que exclusivamente desse tipo de usina. Na França, por exemplo, cerca de 80% de toda energia elétrica produzida é de origem nuclear. No Japão é pior, chega a 90%.

Os países que não têm recursos hídricos nem petrolíferos não têm outra alternativa. Necessitam descobrir um novo processo nuclear seguro. Caso contrário terão que fechar as portas.

A França, por exemplo, já mandou a maior parte das indústrias que consomem grande quantidade de eletricidade para fora. Algumas delas vieram para o Brasil.

enerusinanu.jpg (101342 bytes)

Chamam-se Nucleares por que utilizam a fissão nuclear, isto é, os átomos são quebrados numa máquima chamada reator, emitindo uma grande quantidade de calor. Esse calor é usado para aquecer a água.

Além do calor, produzem um produto chamado Rejeito Nuclear, material que contém altíssimas quantidade de radioatividade, extremamente nociva para todas as formas de vida, cancerígena, causa leucemia e outras formas de câncer e demoram cerca de 100.000 anos para diminuirem sua carga tóxica.

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

A primeira usina nuclear do mundo – que ainda está viva.

1_007

Pelo que consta em diversos relatos históricos que já li, foram os alemães os que tiveram as pesquisas mais avançadas na área nuclear em sua época. Mas Hitler não confiava nesse tipo de coisa – só em tanques, fuzis e aviões – e a massa científica acabou saindo do país. Bom, o resto é história. Os EUA criaram o Projeto Manhattan e despejaram suas bombas sobre o Japão, e o mundo se viu mergulhado na Guerra Fria e a corrida nuclear.

Como vantagem (ou quase isso, já que energia nuclear é a mais perigosa de todas) surgiram as usinas nucleares, que hoje são responsáveis por cerca de 17% da energia gerada no mundo.

O que poucos sabem é que a primeira Usina Nuclear do Mundo – chamada oficialmente de Primeira Central Nuclear – foi inaugurada na União Soviética, no dia 27 de junho de 1954, com uma potência de 5000 kW. Como de praxe, foi tudo feito no mais absoluto sigilo. Nem mesmo os trabalhadores, de técnico pra baixo, sabiam o que estavam fazendo.

O nome do reator principal era The Peaceful Atom, e o conjunto da obra demorou o tempo recorde de três anos para ficar pronto (não me pergunte quantos Stalin matou no processo).

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Usina Nuclear


Da mesma forma que uma usina termelétrica utiliza a energia térmica gerada pela combustão de óleo combustível, carvão ou gás, a usina nuclear utiliza a energia liberada pela reação de fissão nuclear do urânio-235.

A grande vantagem de uma usina nuclear é a enorme quantidade de energia que pode ser gerada, ou seja, a potência gerada, para pouco material usado (o urânio), veja a comparação:


O Reator Nuclear:

De uma forma simplificada, um Reator Nuclear é um equipamento onde se processa uma reação de fissão nuclear, assim como um reator químico é um equipamento onde se processa uma reação química.

Como já foi dito o reato nuclear Angra1 é conhecido como PWR (Pressurized Water Reactor = Reator a Água Pressurizada), porque contém água sob alta pressão.

O urânio, enriquecido a cerca de 3,2% em urânio-235, é colocado, em forma de pastilhas de 1 cm de diâmetro, dentro de tubos (“varetas“) de 4m de comprimento, feitos de uma liga especial de zircônio, denominada “zircalloy”.

As varetas, contendo o urânio, conhecidas como Varetas de Combustível, são montadas em feixes, numa estrutura denominada ELEMENTO COMBUSTÍVEL.


As varetas são fechadas, com o objetivo de não deixar escapar o material nelas contido (o urânio e os elementos resultantes da fissão) e podem suportar altas temperaturas. Os elementos resultantes da fissão nuclear (produtos de fissão ou fragmentos da fissão) são radioativos e, por isso, devem ficar retidos no interior do Reator.

A Vareta de Combustível é a primeira barreira que servepara impedir a saída de material radioativo para o meio ambiente.

Alguns elementos químicos, como o boro, na forma de ácido bórico ou de metal, e o cádmio, em barras metálicas, têm a propriedade de absorver nêutrons, porque seus núcleos podem conter ainda um número de nêutrons superior ao existente em seu estado natural, resultando na formação de isótopos de boro e de cádmio. Na estrutura do Elemento Combustível existem tubos guias, por onde podem passar as Barras de Controle, geralmente feitas de cádmio, com o objetivo de controlar a reação de fissão nuclear em cadeia. Quando as barras de controle estão totalmente para fora, o Reator está trabalhando no máximo de sua capacidade de gerar energia térmica. Quando elas estão totalmente dentro da estrutura do Elemento Combustível, o Reator está “parado” (não há reação de fissão em cadeia).


Os Elementos Combustíveis são colocados dentro de um grande vaso de aço, com “paredes”, no caso de Angra 1, de cerca de 33 cm. Esse enorme recipiente, denominado Vaso de Pressão do Reator, é montado sobre uma estrutura de concreto, com cerca de 5 m de espessura na base.

O Vaso de Pressão do Reator é a segunda barreira física que serve para impedir a saída de material radioativo para o meio ambiente.

O Vaso de Pressão contém a água de refrigeração do núcleo do reator (os elementos combustíveis). Essa água fica circulando quente pelo Gerador de Vapor, em circuito, isto é, não sai desse sistema, chamado de Circuito Primário. Angra1 tem dois Geradores de Vapor. A água que circula no Circuito Primário é usada para aquecer uma outra corrente de água, que passa pelo Gerador de Vapor.
A corrente de água que passa pelo Gerador de Vapor passa, em forma de vapor, pela turbina, acionando-a. A seguir é condensada e bombeada de volta para o Gerador de Vapor,constituindo um outro Sistema de Refrigeração, independente do primeiro. O sistema de geração de vapor é chamado de Circuito Secundário.

A independência entre o Circuito Primário e o Circuito Secundário tem o objetivo de evitar que, danificando-se uma ou mais varetas, o material radioativo (urânio e produtos de fissão) passe para o Circuito Secundário. É interessante mencionar que a própria água do Circuito Primário é radioativa.

O Vaso de Pressão do Reator e o Gerador de Vapor são instalados em uma grande “carcaça” de aço, com 3,8 cm de espessura em Angra 1. Esse envoltório, construído para manter contidos os gases ou vapores possíveis de serem liberados durante a operação do Reator, é denominado Contenção.

No caso de Angra 1, a Contenção tem a forma de um tubo (cilindro). Em Angra 2 é esférica.

A Contenção é a terceira barreira que serve para impedir a saída de material radioativo para o meio ambiente.

Um último envoltório, de concreto, revestindo a Contenção, é o próprio Edifício do Reator. Tem cerca de 1 m de espessura em Angra 1.

O Edifício do Reator, construído em concreto e envolvendo a Contenção de aço, é a quarta barreira física que serve para impedir a saída de material radioativo para o meio ambiente e, além disso, protege contra impactos externos (queda de aviões e explosões).
Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Perguntas secundárias

O que é usina nuclear?

Como surgiu a usina nuclear?

Como é composta a usina nuclear?

Como funciona a usina nuclear?

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário